Os perigos de colocar botijão no carro a gás

27 setembro 2019


Botijão no carro

Ao ter um carro com Gás Natural Veicular (GNV) instalado, é preciso seguir algumas regras e ter alguns cuidados para se evitar complicações. 

Um dos erros mais graves é a utilização de botijão de gás de cozinha, no lugar de um cilindro seguro e autenticado. 

Há muito perigo nessa prática. Saiba mais!

Proibido pela legislação

Para ter GNV no carro, é preciso instalar um kit gás em uma oficina credenciada pelo Inmetro. 

Como forma de baratear todo esse processo, há pessoas que optam por utilizar o gás de cozinha, ignorando a obtenção de um cilindro seguro. Essa prática é inadequada e proibida no Brasil desde 1998 pelo Código de Trânsito Brasileiro, também reiterada em 2017 pela resolução nº 673 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Tal código assegura que apenas o GNV seja utilizado nos automóveis. Isso porque, embora aparente ser vantajoso gastar menos, os riscos de ir contra essa legislação são iminentes. 

Riscos 

Por ser proibido, a conversão para um veículo utilizar o sistema Gás Liquefeito de Petróleo – GLT, mais conhecido como gás de cozinha, é feita de forma precária. Todos os procedimentos são improvisados e, geralmente, se baseiam nas famosas “gambiarras”.

Diversos acidentes, como sérias explosões, são comuns quando um condutor realiza esse tipo de adaptação, porque também os sistemas de gases utilizados são diferentes. No GNV, há o propano e o butano. Já no GLV, há os hidrocarbonetos metano e etano.

Cuidados 

Não compensa comprometer a sua segurança para gastar menos. O prejuízo final pode ser bem maior!

Por isso, o indicado é procurar uma oficina credenciada para a devida instalação do kit gás e, ainda, realizar visitas periódicas para verificar se todo o sistema está funcionando com perfeição. 

Com tais medidas, é possível garantir segurança e se evitar a aplicação de multas e perda de pontos na carteira! Fique ligado! 

 

Newsletter